Curso Tambores Xamânicos – Jr. Patta

Oficina de Confecção De Tambores Xamânicos c/ Jr Patta
Vivencie a medicina do tambor e aprenda a fazer o seu próprio instrumento de poder! dias 4 e 5 de novembro!

Os xamãs sempre se utilizaram de objetos mágico-religiosos que lhes conferiam poder às cerimônias e rituais, assim como os talismãs que os protegiam. O tambor é considerado universalmente como um instrumento indispensável do xamanismo. É o veiculo pelo qual os xamãs fazem suas viagens a outros mundos. O tambor também é usado para invocar espíritos, para curas, para afastar
espíritos malignos.

1. Nesta oficina, você não apenas irá fazer o seu próprio tambor, o seu instrumento de poder, mas também ter uma vivência de dois dias com a medicina do tambor, num Espaço Xamânico acolhedor e próprio para este tipo de atividade;

2. A oficina terá dois dias, sendo no sábado dedicado a confecção do seu tambor; e no segundo dia, domingo à tarde, dedicado aos cantos, toques e consagração.

3. Para confirmar a vaga é necessário um sinal de pagamento, para que possamos encomendar os materiais com antecedência. As inscrições ocorrem via whatsapp 11 99680 9169, pelo inbox ESPAÇO – A KIVA URBANA ou email akivaurbana@gmail.com .

Dias 4 (manhã e tarde) e 5 de novembro (tarde).
____________________________________
Valor da Oficina: 450,00
Tambores Lakota ou Cherokee – 40cm
1ª parcela – 225,00 para compra dos materiais e reserva da vaga.
2ª parcela – 225,00 no dia oficina em dinheiro, cheque ou cartão

Ou em até 12 x 47,19 no cartão de credito pelo Pag Seguro Uol (acrescenta-se taxa do cartão)

_____________________________________

Inscrições e mais informações:
Inbox , email akivaurbana@gmail.com ou tel/whats 11-960661535

LOCAL: ESPAÇO A KIVA URBANA – RUA MANOEL GONÇALVES MÃO CHEIA, 433, BUTANTÃ
_____________________________________

Facilitador: Júnior Patta
Pesquisador estudioso de Cultura e Meio Ambiente. Atua no resgate de cantos e danças do costume indígena no projeto Mais Cultura nas Escolas para o governo federal. Multiplicador da Roda de Xamanismo Voo da Águia, Artesão facilitador de oficinas de tambores, Músico Ogã Alabê facilita ensaios de ritmos e canto.
_____________________________________

O tambor deverá adquirir uma alma antes de ser utilizado, alguns o preparam com banhos de ervas, evocações, defumações, canções, preces, etc. Deve ser honrado o sacrifício do animal e da árvore, pois estes espíritos também falarão através do toque do xamã.

Os nativos norte-americanos associam o toque do tambor as batidas do coração da Mãe-Terra e também ao som do útero. O tambor dá acesso a força vital através de seu ritmo.

O tambor é considerado o cavalo, ou a canoa, que leva ao mundo espiritual. É o instrumento que faz a comunicação entre o Céu e a Terra, que permite ao Xamã viajar ao Centro do Mundo ( Eliade )

É utilizado por xamãs e sacerdotes do mundo inteiro, em diversos tamanhos e formas, como, por exemplo o Damaru ( o instrumento de Shiva ), os tambores japoneses, as tablas indianas, as tumbadoras cubanas. É usado no Tantra, no Budismo Tibetano, nos cultos afro, tais como a Umbanda e o Candomblé ( atabaques ). Neste último existe a prática do batismo dos atabaques, onde são aspergidos por água benta; são oferecidas comidas dos santos, e os tambores envoltos com as cores dos orixas a que foram consagrados. Nos cultos jeje-nagô os atabaques são percutidos com varinhas (aguidavis), nos cultos de angola são percutidos com as mãos.

A velocidade de toque para uma jornada xamânica varia de 150 a 200 batidas por minuto.Os sons repetitivos e monótonos, permitem ao xamã alterar sua consciência. O antropólogo M. Harner, relata uma pesquisa feita em laboratório, que o tambor produz modificações no sistema nervoso, pois as batidas são de baixa frequência, predominando o nível de frequência do eletroencéfalograma, por esse motivo, para conservação do transe, geralmente um assistente assume o tambor. O tambor associado a cânticos, sinos , e outros intrumentos cria um ambiente muito propício para o transe.

Alguns xamãs chegam a afirmar que o trabalho xamânico não acontece sem um tambor. O chefe do tambor, ogã, tamborileiro, é o maestro da viagem, do transe. Os toques podem aumentar o campo de força. Existem toques para cura, para guerra, para as jornadas.

Histórias nativas contam que o tambor é um presente enviado pela Águia. É o veículo do xamã, que nos permite comunicar na língua sagrada do espírito.

Um tambor xamânico é construído dentro dos parâmetros muito precisos para a eficácia máxima. A borda é feita da madeira, geralmente cedro, ou uma madeira local com bom resonate qualidades. A cobertura é mais tipicamente do couro cru .

O tambor xamânico produz estados claros de transe e níveis de relaxamento profundo. É também meio de conectar com os pontos mais distantes da grade energética. O tambor sagrado alinha-nos com as forças da harmonia. A harmonia é um atributo universal da consciência, e ajuda-nos viajar, através do espaço do coração. Quando nós ouvimos o tambor ressoar nós criamos uma possibilidade de oferecer a vida para nos e o universo inteiro.

O tambor nos leva a examinar o espírito, dá-nos uma voz do espírito e as orelhas do espírito. Alce Negro – Wallace Black Elk , xamã lakota disse : “quando você reza com o tambor , quando os espíritos ouvem esse tambor que ecoa, nossa voz superior é desobstruída.”

Agradecemos pela atenção,
Por todas as nossas relações!
Aho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *