O Mundo de Ponta Cabeça

PREPARE-SE PARA UMA NOVA FORMA DE VER O MUNDO!

Roda Medicinal Voo da Águia
A Roda Medicinal da América do Sul


APRENDEMOS A VER O MUNDO ASSIM…


QUE TAL VERMOS ASSIM?

Estudando os passos da dança, na Roda Medicinal fui vendo que me movia muito de acordo com o mundo observado pelo Hemisfério Norte e a partir de 2.003 comecei a praticar a dança de acordo com o que vivemos aqui no Hemisfério Sul, e pude compreender que viver de acordo com  as estações é uma das maiores chaves para andar em equilíbrio na Mãe-Terra. Estou aprendendo a harmonizar os corpos: mental, espiritual, emocional e físico remando de acordo com a maré.

Aprendemos que o Sol nasce no Leste quando aparece no horizonte pela manhã e que o Sol se põe no Oeste quando descansa no horizonte a tarde. Segundo o pensamento ancestral um novo Sol nasce todos os dias e depois, a tardinha se coloca abaixo do horizonte para morrer. Tomando o Sol como referência: Os mapas de antigamente apontavam para o Oriente, onde nasce o Sol.

À noite os povos do Hemisfério Norte da Terra usavam como referência, a estrela Polaris, que sempre está no mesmo lugar. Vendo Polaris, estará de frente o Norte, atrás terá o Sul, o Leste à direita e o Oeste à esquerda.

Nós aqui no Hemisfério Sul, não vemos a estrela polar, mas sim a Constelação do Cruzeiro do Sul, cuja ponta está direcionada para o Polo Sul, enquanto Polaris aponta para o Polo Norte.


As estações do ano são diferentes em cada lugar. No Sul e Sudeste do Brasil é mais fácil perceber as quatro estações. Já nos estados do norte do Brasil é mais fácil dividir o ano em duas estações, verão e inverno ou chuvas e seca.  No norte e nordeste as temperaturas não são baixas no inverno, é marcado mais pelas chuvas. No outono época das árvores deixarem cair suas folhas, muitas arvores florescem. Nas regiões tropicais e equatoriais, onde a maior parte do Brasil se insere, as estações não são tão definidas pela neve no inverno, por exemplo: Quando consideramos a Dança das Estações no Planeta, enquanto estamos no inverno no hemisfério Norte, é Verão no Sul. As estações são opostas.

Estudamos o mapa-múndi com  o hemisfério Norte ocupando dois terços do planeta e a Europa no Centro. O professor Rafael Sanzio graduado em geografia pela Universidade Federal de Brasília (UnB), traz uma nova interpretação com blocos continentais com as proporções reais, através de imagens de satélite mostrando o globo invertido. (de cabeça para baixo) e outro com o Brasil situado em posição central no planeta.

O físico Marcomede Rangel, do Observatório Nacional elaborou um mapa que mostra a paisagem celeste vista  pelo hemisfério Sul, com o observador invertido.

“As pessoas ficavam frustradas por não encontrar no céu o que estava no desenho”, diz Marcomede.

No hemisfério norte a constelação de Touro é vista como um V, mas no hemisfério Sul é um A. A Constelação de Escorpião no Norte é um gancho e no Sul um ponto de interrogação ao contrário. Nos EUA, o Polo Norte está acima, eles se vêm acima da linha do Equador e nós estamos abaixo. Aqui para nós, eles estão abaixo da linha do Equador, pois acima de nós está o Polo Sul.

O administrador Stephen Kanitz propõe: Vamos começar uma vida nova, de início virando esses nossos mapas para cima, para o Cruzeiro do Sul. Vamos criar nossos referenciais, nossos pontos de apoio, nossas formas de ver o mundo. Essa é a única forma de criar uma nação. Vamos finalmente descobrir o Brasil, mas, desta vez, com nossos próprios olhos.

Observando o que acontece no Brasil, com nossos próprios olhos, nosso mapa estará para cima, para o Cruzeiro do Sul, com o Norte para baixo. Mas lembrando de que o conceito de embaixo e em cima depende de uma referência, pois numa roda não há começo nem fim, nem embaixo e nem em cima. Observando do Equador, podemos dizer que Hemisfério Norte fica ao Norte do Equador e o Hemisfério Sul fica ao Sul do Equador.

Os passos da dança são bem simples. São 36 posições de relacionamentos corretos, respeito humano, a todos os seres; a Todas As Nossas Relações – minerais, plantas, animais, espíritos que vivem  na Mãe Terra.

Cada posição da Roda afetará diretamente a você em algum ponto de sua vida

Para iniciar e compreender essa visão de realidade deverá deixar de lado ideias pré-concebidas, preconceitos, para deixar sua imaginação superar o físico e o intelectual. Permitir enxergar além das aparências para que o corpo chame novas aberturas e se conectar com intensas energias da Terra e de cura.

O estudo da Roda medicinal resgata a conexão com todos os aspectos da vida, valores, virtudes, ajudando a entender traços do passado que influenciam no presente e no futuro.

Segundo Lucy Harmer em seu Livro Shamanic Astrology:

“Uma diferença básica separa os sistemas xamânicos e ocidentais da astrologia, claramente explicado por K. Meadows. Ele descreve astrologia ocidental como um cinturão imaginário ou constelação fixa em torno da Terra, enquanto a astrologia xamânica é mais adaptada para o nosso ambiente particular do que a astrologia ocidental. Como a astrologia xamânica se baseia no ciclo natural das estações do ano e do sol, os sinais astrológicos  mudam de um hemisfério para outro. Os animais espírito e as suas propriedades diferem no hemisfério norte do hemisfério sul.

Por exemplo, o solstício de verão no Hemisfério Norte corresponde a junho 21/22. O pica-pau é o animal associado a este período, quando os dias são longos e quente e o sol está em seu apogeu.

No entanto, no Hemisfério Sul, o solstício de verão corresponde a dezembro 21/22, portanto, o período do pica-pau neste hemisfério é de 22 de dezembros – 19 de janeiro. Na Roda Medicinal para o Hemisfério Sul as datas para cada signo são o oposto daquelas para o Hemisfério Norte. Todas as direções são invertidas, incluindo as do Oeste (referem-se à roda da medicina para o hemisfério norte e da roda da medicina para o Hemisfério Sul).

Na roda xamânica, a alma entra no corpo físico antes do nascimento, trazendo  todas as qualidades, pontos fortes e potenciais e lições de vida necessárias, que precisamos aprender para a nossa evolução. O momento do nosso nascimento marca a nossa entrada na Roda da Medicina, o Círculo da Vida, acompanhado pelo nosso espírito animal. Naquele momento, nosso potencial é completo, nós temos tudo que precisamos espiritualmente para seguir o nosso caminho de vida.

A meditação/visualização é o veiculo.  O tambor, os sons; a respiração, os movimentos; as vivências são o combustível.  O  Mistério  é o condutor. Juntos  proporcionam possibilidades para ver, sentir, perceber, compreender a si próprio e sua vida e conectar a Sagrada Energia Pessoal com a  Sagrada Energia do Universo.

Aprendendo mais sobre as estações; hora do dia, hora da vida; as luas, sobres os 3 reinos, sobre os espíritos guardiões que são evocados, caminhamos em direção ao Espaço Sagrado do Grande Espírito.

Assim sendo, o Centro de Estudos de Xamanismo Voo da Águia, propõe o estudo com referência daquilo que acontece em nosso Hemisfério Sul e no Hemisfério Norte dentro das suas realidades ecológicas e seus pontos de visão.

Por Todas as Nossas Relações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *