OUTONO – A INTROSPECÇÃO

OUTONO – A FASE DE RECLUSÃO – RECESSÃO – INTROSPECÇÃO

Meditando na vida, no Calendário Sagrado, na responsabilidade que alguns de nós assumimos com a transformação de nossas próprias vidas, já estamos prontos para mais uma jornada de transformação que não tem fim e se renova à cada estação. Neste momento nos preparamos para a introspecção, para o início do outono, tempo de digerir nossas idéias, nossas metas de olho na estação do futuro, o Inverno. É o momento em que as energias estão desaparecendo até o reino do imanifestado, então, é tempo mais para manifestar princípios espirituais, do que pedir benefícios materiais.

No outono as folhas secam e caem, os últimos frutos são colhidos. A colheita é guardada para o inverno. O ciclo mostrou o crescimento na primavera, a exuberância no verão, e agora se encaminha para o fim. É a maturidade. O momento do crepúsculo, quando o Sol se põe e a vida diurna vai se recolhendo.

O nível humano é empurrado para relacionar-se mais com os outros e participar e ajudar o que chega de associações, quer seja com grupo, família ou comunidade.

Indica a morte do velho e a promessa de novos começos, renascimento. É o tempo de transformação e mudança de ênfase para outras atividades, para o crescimento interior. Para avaliar tudo o que foi plantado e colhido, e agradecer a colheita seja ela farta ou escassa, tendo consciência do aprendizado, sem pedir nada nesta ocasião.

O período de dia e de noite são iguais, é a época para colher o que semeamos na Primavera. A abundância da colheita também deve trazer o senso de preparação para o momento do frio que se aproxima, e para o ciclo de morte da natureza. Para entrarmos em introspecção, no nosso interior e de nos prepararmos para sobreviver, física e espiritualmente, durante os meses de inverno.

Para fazermos introspecção, para encontrar a sabedoria e o conhecimento, que vem com o período de maturidade. Momento de expansão da consciência, para mudar o nível de percepção e compreender o mistério da vida e da morte além dos medos e limitações.

Na caverna nos contemplaremos com as dualidades da vida; as alegrias e tristezas, forças e fraquezas, medos e amores. É lá que iremos liberar nossos sofrimentos antigos, vícios, obsessões. Onde aprenderemos a curar as feridas antigas e nos tornaremos curadores curados. Nesse estudo nos sentimos amorosamente envergonhados, quando temos consciência de ter feito algo que precisa ser corrigido, e nos responsabilizamos por nossas ações. Iremos sentir nossa capacidade de curar, quando estivermos dispostos a corrigir nossos comportamentos inadequados e aprendermos a não carregar culpas.

Na Caverna do Urso aprenderemos a perceber quando nos auto-sabotamos, quando temos atitudes inspirados pela nossa sombra, e obteremos firmeza, através das virtudes, para seguirmos em frente. Buscaremos essa resposta dentro de nós mesmos. Seremos desafiados à enfrentar nossos medos, nosso sentido de auto-importância, a evitar que a sombra impeça nosso bem estar. As lições da Caverna do Urso nos ensinam à respeitar nosso Espaço Sagrado, a estabelecer limites saudáveis, a nos distanciar do que nos agride, a preservar nossa auto-estima. É o tempo da maturidade. Podemos aprender sobre força, poder, adaptabilidade, responsabilidade, liderança, ensinamento, introspecção. Aprendemos o equilíbrio entre olhar para dentro e agir para fora. O lugar para tornar consciente os verdadeiros propósitos de nossas vidas.

O útero da Mãe Terra é representado pela caverna do Urso. É o lugar de morrer para renascer. Da nutrição e da proteção. Do mundo subterrâneo e da escuridão, o Feminino Profundo. É o tempo para se encontrar consigo mesmo, meditar profundamente. Para ser nutrido com maior energia física, colocar os pés no chão. Para alcançar metas pessoais, conseguir silêncio interior e saúde fisica, mudar de emprego ou trabalho. A ênfase do Oeste é nas coisas sólidas e físicas. Nosso corpo físico é quem nos “segura” como parte da Terra. Cada um de nós é o centro do seu próprio Universo dentro da aura humana, e assim podemos experienciar o reino da matéria.

A Direção Oeste é ligada ao Outono, que é a estação de consolidação, para o crescimento e o esquema natural das coisas. Humanos armazenam frutos dos seus esforços e também examinam a si mesmos para descobrir que mudanças necessitam para progredir, quando o tempo de renovação chegar. Assim como as árvores liberam suas folhas, criando vazio no inverno e para a chegada das novas folhas na primavera, aprendemos a liberar comportamentos, atitudes, apegos que não mais nos são úteis, criando espaços vazio para o novo, para a excelência.

Esse “entrar dentro” é a essência de muitas experiências de vida que no Oeste acharão por si próprios. O Poder do Oeste expressa-se como uma influência estável. A responsabilidade humana por reunir coisas em volta, de segurar coisas organizadas com direções, regras e condições claras, para ter pensamentos “curtos e secos”. O Oeste nos fala da capacidade de concretizar nossos objetivos e do pleno reconhecimento de nossas forças interiores. Tudo aquilo que o futuro nos reserva está sempre no Oeste, o lugar do nosso amanhã. Praticaremos a medicina da introspecção e da Cura Física. É hibernando (poder do silêncio e da meditação) na caverna do urso (subconsciente) que vamos encontrar respostas para nossas perguntas.

É o momento de rezar, de deleitar, de refletir, de agradecer e de colher. Um momento para honrar aqueles que já foram antes de nós, nossos antepassados. De agradecer nossos parentes para examinar nossas próprias vidas. É também um momento de aceitar as coisas como são. É o lugar de morrer para renascer de ressignificar o propósito da vida.

Nas palavras de Jamie Sams: Esta direção (Oeste) está relacionada com o Vazio, suas respostas vem da escura caverna do Urso. A capacidade de exercer a interiorização e a introspecção faz parte da energia feminina, que é uma energia mais receptiva. O ventre da mulher é o lugar onde todas as idéias, assim como todos os bebês são alimentados. A escuridão do ventre fértil da mulher é o lugar onde cada um de nós teve o seu começo (assim esperamos que continue!!!).

O Oeste nos fala da capacidade de concretizar nossos objetivos e do pleno reconhecimento de nossas forças interiores. Tudo aquilo que o futuro nos reserva está sempre no Oeste, o lugar do nosso amanhã. É medicina da introspecção e da Cura Física. É hibernando (poder do silêncio e da meditação) na caverna do urso (subconsciente) que vamos encontrar respostas para nossas perguntas. Pode ser evocado para poderes curativos.

O Urso pode ser evocado para resistir a um ambiente hostil, e para trazer calor aos nossos corações. Desperta o poder feminino profundo. Na caverna do urso digerimos as nossas idéias, nossos pensamentos. Os Ventos do Oeste chegam com o outono, é o tempo de crescimento, onde as coisas chegam à maturidade. É tempo de colheita, onde somos compensados por nosso trabalho passado. Mudjekeewis (Espirito Guardião do Oeste) traz as brisas frescas do outono, nos ajudando a ir para nosso interior e buscar nossas próprias forças.

O Poder do Oeste é uma influência que realça a auto-suficiência e o desenvolvimento de um tipo de força que chega do interior e que é a mais importante das forças. Quem nasceu nessa época é geralmente dotado de um grau de força interior para enfrentar as dificuldades da vida, mas freqüentemente necessita reconhecer que deve colocar-se para fora quando necessário, são mais introspectivos. Sentem atração pela cura natural e medicinas complementares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *