Roda – Direção Leste – A Iluminação

Direção Leste –  A Iluminação/ O Nascimento

Como o Leste é concernente com o espírito e o ser humano, o índio conclui que o homem tem o equilíbrio e a harmonia dentro de sí quando determina com o Espírito. Esse é o jeito que o sistema de energia dos seres humanos está estruturado. Desarmonia e desiquilíbrio resultará se, vivendo um clichê, ao determinar com outra parte de seu ser. Com a mente, por exemplo, que é associado com o Sul, ou com as emoções, que está associado com Norte. O harmonioso e sincrônico funcionamento do ser humano é absolutamente vital para o bem estar. De fato, saúde, felicidade, abundância, seguramente depende disso. Achando o equilíbrio correto entre o interior e outros aspectos do ser, entre o consciente e subconsciente aspectos da mente, sintonizando com  o natural e com as forças cósmicas chegar ao cumprimento, com aquele estado de equilíbrio onde tudo e qualquer coisa torna-se possível.

De certo as raízes da questão : O que é o Espírito ? Existem confusões de idéias sobre o o que constituí o Espírito. Algumas definições tratam como alma, ou  fantasma e outros. Os índios norte-americanos entendem-na como consciência individual expressa em si mesmo de diferentes e organizadas formas.  O índio vê cada entidade, inclusive o ser humano , como um espírito individual, expressando-se com consciência.  A alma humana era a moradia do espirito individualizado e permitia a ligação entre espírito e matéria. O nativo considera a alma como o Arquivo de experiências e ela incorpora a personalidade permanente que sobrevivem a todas as encarnações. Os índios concluem que como Divinos Mortais, nós deveríamos determinar nossas ações com o Espírito, porque ele é o veículo das inteligência e das intenções. Intenções onde relacionamos os princípios, éticos e morais, em tudo o que é atividade do espírito. Contudo, mesmo que tenhamos certeza no coração e “boas intenções”, poderemos ainda obter resultados não desejados, se determinarmos com a mente ou com as emoções e não com o Espírito.

Meadows, exemplifica, com as leis que são formadas pelas atividades da mente e nos designa a estabelecermos e a salvaguardar princípios ( que assim como vemos, são atividades do espírito) . É possivel determinar a aplicação de algumas leis com a mente para manter a letra da lei e segui-la literalmente, mesmo  sendo contrárias à intenção do espírito. Nós viajamos através da vida com nossos próprios passos, fazemos nossas  escolhas, e determinamos o caminho  de como usar nossas energias na coreografia da vida na Terra. Nós somos, portanto, produto de nossa determinação e criadores das  circunstâncias. Não somos meros robôs.

Como nós sabemos quando estamos determinando com o Espírito ? Nós determinamos com o Espírito quando seguimos o que o coração quer que façamos, porque a verdade do coração é a voz do Espírito. Dar é um atributo do Leste. Nós damos com o coração e determinamos com o espírito.. O “Caminho do Coração” ou  o “Belo Caminho”, é o jeito de amar  que não tira partido ou vantagem dos outros para interesses próprios, mas os inclui  nas vantagens que recebemos. O modo nativo considera que devemos ajudar uns aos outros para a Terra permanecer na Beleza.

Do entendimento dos Quatro Ventos, o índio concluiu que o homem é composto de todos os outros reinos.  Ele é carne, sangue, ossos e essência, e as águas do corpo, contém vida do mundo mineral, vida das plantas, das frutas, sementes e dos animais.  O homem não é meramente uma parte do mundo físico. O mundo físico que inclui minerais, plantas e animais, é literalmente parte do homem. O homem é uma miniatura do sistema solar, um microcosmo do Universo.

Entenda o homem, e você entenderá a Terra e o Universo. Entendendo a Terra e o meio ambiente, você entenderá ambos : o homem e o Universo.   O Eu Real é a entidade espiritual que existe antes de sua presença nesta vida na Terra e que continuará a existir depois de sua morte terrena. O Espírito é o ” Eu Interior “que é eterno. Ele é perene. Pessoas mais velhas devem entender a realidade da sua própria idade. Os mais jovens pensam que sentem diferente, até ficarem velhos. Sente-se mais com sessenta do que com dezesseis anos a consciência do que a idade faz ao corpo.

Na verdade , nossas idéias e opiniões podem mudar com a maturidade dos anos. O corpo pode não ser tão capaz fisicamente e as limitações podem chegar à frustração, mas você continua sendo o que sempre foi = VOCÊ ! Idade não faz a morte. Morte é meramente uma mudança de consciência.

Então, qual é o propósito disso tudo ? Em termos gerais o índio norte americano entendeu que o propósito da vida é para expandir, ampliar o “Eu Real “.O propósito da vida é continuar a evolução do “Divino Espírito Interior ” . O propósito da vida  é a Educação do Espírito.

Voltando para examinar a Teia da Terra, mesmo as pessoas que nascem no mesmo lugar, no mesmo dia, na mesma hora, com influências e qualidades similares, não são idênticas.

Embora tenham o mesmo totem, o totem é uma indicação móvel, flutuando no Cosmos por sí mesmo, governado por nossa própria dinâmica interna. Então,  duas pessoas do mesmo totem  podem dividir experiências similares. O efeito é determinado pelo grau de exposição às influências  e o nível de nossa reação. O Espirito que o índio define como a Essência da Entidade Real. O Espírito é a Essência real.

O índio não só aceita a realidade de uma vida após a morte, como também na vida antes do nascimento . A Natureza era sua testemunha para comprovar essa verdade. Antes de cada vida, damos um forte salto  na primavera. Há vida antes dela e depois.  Cada vida é como uma forma de produzir sementes para a auto-perpetuação. A vida passa. Isso é a Lei Cósmica. Se ele acompanha a vida que há depois da morte, existe também a vida antes do nascimento? O índio foi além desse conceito, crendo que as sementes que agora plantamos são para a próxima vida. As sementes da próxima vida estão  sendo preparadas na vida presente que estamos vivendo.  Em outras palavras : Não há como escapar da consequência de nossas ações. Cedo ou tarde o passado reaparece para nós.

Tendo a consciência da existência antes de nascer, porque não nos lembramos ? Porque  iniciamos cada vida com um disco em branco de memória. O novo disco é inserido no drive a cada nova vida. Mas o disco rígido ainda retém informações no banco de memória do nosso “Eu Inconsciente”.

O acesso a ele é normalmente bloqueado, mas existem pessoas que tem a habilidade para reviver experiência de vidas passadas e assim romper com padrões e refazer códigos. O totem da Direção é somente um dos totens que completam o “Escudo Pessoal”. Cada totem é conectado com uma diferente parte ou nível do nosso ” Ser Total “. Cada um serve de canal para o outro, todos os dias, crendo na existência e na verdade interior de nosso consciente e subconsciente. Como um botão de um rádio, eles nos ajudam, a conectar com uma particular “onda” de nosso ser, ou como uma chave de um computador que é capaz de acessar um menú de informações e energias.

Outros desses vários totens é o nosso totem de nascimento (poderá saber no site www.xamanismo.com.br ) , que é relacionado à data de nascimento e provê uma sintonia fina das forças e energias, que incluem nosso veículo de personalidade. Pessoas nascidas de 23 de setembro até 21 de dezembro.

Falcão – Lua da Primavera – de 23 de setembro a 22 de outubro

Castor – Lua da Fertilização – 23 de outubro a 21 de novembro

Cervo – Lua do Florescimento – 22 de novembro à 21 de dezembro

O totem do nascimento é similar aos signos ou glifos usados na Astrologia Solar e de algum modo relacionam-se com eles, mas é bom frizar que  o totem é mais do que um signo. Ativando-o estaremos acionando dois comandos; por onde podemos direcionar nossos níveis e por meio deles, os limites de alcance podem filtrá-los através de outros níveis, tornando parte de nossos dias na vida física. Estudaremos mais específicamente, quando chegarmos nas Luas da Roda Medicinal.

Kenneth Meadows classifica bem os componentes do Leste :

Qualidade: Iluminação e Clareza.

O Leste é o lugar onde você pode ver onde está! O índio americano chamou-o de “o lugar da visão distante” porque era onde uma visão geral da vida podia ser obtida. O Poder do Leste é o poder da Luz, da iluminação mental e espiritual e da visão interior que vem da consciência da unidade de todas as coisas vivas. Quando estamos “no escuro”, temos medo de nos aventurar muito além do que já sabemos ou vivenciamos – aquilo que é familiar. Mas uma vez que haja acesso à luz para iluminar o caminho, podemos ter a coragem de nos aventurarmos em reinos desconhecidos e até mesmo desconhecidos, como estamos fazendo nesta jornada do Caminho da Medicina. Assim, o Leste nos dá a iluminação para ter a coragem de ser aventureiro. Afinal de contas, uma aventura destina-se a ser não apenas emocionante, mas também agradável, excitante e estimulante. Toda a sua vida pode se tornar agradável, excitante e emocionante a partir de agora, se você permitir.

O Leste é o lugar para ampliar a visão, de ver as coisas de longe, de poder recuar e ver a imagem mais ampla e assim entender onde tudo se encaixa. É como ver uma imagem de um quebra-cabeça, em vez de apenas a coleção de peças individuais. A imagem nos mostra como o ‘todo’ se parece, então podemos determinar melhor onde cada peça se encaixa. Então, o Oriente é onde podemos aprender a colocar as coisas em perspectiva.

Espírito e Deus, o aspecto invisível do Espírito. A criação foi apenas a transição do invisível para o visível.
Portanto, as coisas visíveis são apenas os reflexos. Reflexões de que? Reflexões de coisas invisíveis. O visível não poderia aparecer se o invisível não existisse, mais do que você poderia ver seu reflexo em um espelho se o físico não existisse. Então a humanidade foi criada à semelhança do Universo. O que é encontrado no universo é encontrado no homem, que é o universo em miniatura.

Foi explicado pelos meus mentores (Meadows) que o Leste é o lugar do Visionário e quando eu expressei esse pensamento a um inquiridor ele perguntou: ‘Se o Leste é o Lugar do Visionário, poderei ver a Deus?’ Ele argumentou que a menos que você pudesse realmente ver Deus, como você poderia saber que Deus existiu? O Leste é a direção para colocar essas questões e esperar por respostas. Uma resposta obtida foi que o Grande Espírito é revelado apenas em Sua obra. O Grande Espírito é refletido em todo o trabalho da Criação e aparece em toda pedra e rocha, árvore e planta, pássaro e animal, e também em humanos. É assim que o Grande Espírito é onipotente, porque está presente em todas as coisas, não separado delas, e é por isso que é tão importante ter um relacionamento amoroso com a natureza. Então você saberá e não apenas acreditará. Isso é esclarecimento. Ignorância é o conceito de que só depois que se morre é que se pode olhar a face de Deus. O rosto do Grande Espírito está em toda parte ao nosso redor e em tudo o que vemos, se é que podemos aprender a olhar.

Totem do Leste: Águia Dourada

A Águia voa mais alto que qualquer outro pássaro e vê longe e amplamente. Para o índio, a Águia voa “mais próxima do céu” e como na cosmologia indigena o céu é comparado ao Espírito, a Águia representa aquilo que está mais próximo do Espírito. A Águia pode voar diretamente para o Sol, e essa habilidade simboliza para o índio o recebimento de um fluxo direto de inspiração do poder da Luz, que é o Grande Espírito. A Águia ensina equilíbrio, pois mesmo a muda de uma única pena da asa de uma águia, é equilibrada pelo derramamento de uma pena da outra asa.

Elemento do Leste: Fogo

O fogo é a energia radiante do Universo, a centelha da vida. No nível humano, é expresso em entusiasmo, ambição e empreendimento. O fogo é um elemento muito poderoso. Seus resultados se manifestam rapidamente, uma vez que sua característica é a expansão e, como o fogo físico, pode se espalhar muito rapidamente. É a qualidade da combustão para energizações elementares do Fogo. É o que alimenta os motores de carros e aviões. É o que gera eletricidade nas usinas. É o que alimenta nossas fábricas. Também alimenta nossos corpos físicos, pois é a atividade elementar de Fogo de nosso sistema digestivo que possibilita a disponibilidade de substâncias que fornecem calor e energia para nossos corpos.

Aqueles de nós que tiveram a sorte de ter sido criados em casas com fogueiras podem, talvez, entender melhor a simpatia e o conforto que o fogo pode trazer com seu calor. Sentado em frente a uma fogueira e observando, as chamas trazem um sentimento de contentamento e bem-estar e muitas vezes se inspira nas “fotos” que se vê nas chamas. As pessoas criadas em casas modernas e apartamentos que não têm lareiras podem achar menos fácil se relacionar com o elemento Fogo.

O fogo energiza e purifica, mas também pode consumir tudo e penetrar. Segundo a sabedoria antiga, o universo inteiro é o fogo no processo de transformação. Tudo na existência física era considerado como fogo condensado – como luz “solidificada”.

Cor do Leste: Amarelo

Amarelo é a cor da luz do sol e, como tal, é uma cor alegre e feliz. Amarelo expressa a necessidade de constante estimulação e atividade. É uma cor inspiradora e expressiva que expande a mente e a capacidade de compreensão. Amarelo está associado com os mentalmente aventureiros. É a cor do chakra do plexo solar.

Reino do Leste: o Reino Humano/Espiritual

Para o xamã treinado em sabedoria esotérica, um ser humano é muito mais que um animal inteligente ou mesmo um animal Criativo. Um ser humano é um mortal divino. O verdadeiro Eu ou Alma da Alma interior era uma entidade espiritual que se manifestava através de um corpo físico para experimentar o plano físico da existência. O homem era assim um ser dual existente em dois reinos – Matéria e Espírito – um temporal, o outro eterno.
Segundo as tradições orais dos xamãs viajantes, a vida humana veio à Terra há cerca de 250 mil anos. O ser humano é uma dualidade – um ser mortal, físico, que é filho da Terra, composto das substâncias da Terra e um espírito imortal, um filho das estrelas para o qual finalmente se retomou.
De acordo com o pensamento nativo, o homem estava relacionado ‘a todos os seres vivos não apenas porque a humanidade, os animais, plantas e minerais se originaram da mesma Fonte, mas porque um ser humano fazia parte dos reinos mineral, vegetal e animal desde que o corpo humano era composto de elementos desses três reinos. O nativo reconheceu que tudo é um. Dia e Noite não eram opostos, mas aspectos da mesma coisa. Então foram gelo e água. Da mesma forma, o xamã indiano não considerou o físico como o oposto do espírito, nem o homem o oposto de Deus, o Grande Espírito. Deus e a humanidade eram aspectos da mesma coisa. O homem era o aspecto físico de Espírito e Deus, o aspecto invisível do Espírito. A criação foi apenas a transição do invisível para o visível. Portanto, as coisas visíveis são apenas os reflexos. Reflexões de que? Reflexões de coisas invisíveis. O visível não poderia aparecer se o invisível não existisse, mais do que você poderia ver seu reflexo em um espelho se o físico não existisse. Então a humanidade foi criada à semelhança do Universo. O que é encontrado no universo é encontrado no homem, que é o universo em miniatura.

Corpo Celestial do Oriente: O Sol

O Leste é a direção do nascer do sol e do milagre do novo nascimento. É o Sol que faz com que todas as criaturas despertem de seu sono para começar um novo dia com frescor.
O Sol é a força masculina e penetrante no próprio centro do universo – a força que trouxe a luz das trevas, a ordem do caos e a Aquela em que o Sol físico é apenas um símbolo – uma representação física exterior. Como tudo em nosso sistema solar gira em torno do Sol físico, que é a principal fonte de energia de tudo, o mesmo acontece na existência em torno do Sol Espiritual – Vovô Sol – que é a Fonte de Tudo e de quem depende a vida. O Sol físico é tão poderoso que eleva grandes massas de vapor nos céus de todos os grandes oceanos da Terra. O Sol Espiritual é tão poderoso que todo o Universo é elevado e suspenso do Nada.

Os nativos e os ancestrais não adoravam o sol físico mais do que um soldado adora a bandeira de seu país. É um ato de adoração ficar em silêncio enquanto o emblema nacional é levantado ou abaixado em certas ocasiões cerimoniais? Ao fazer isso, você está pagando tributo e respeito ao país que lhe deu origem e em que suas raízes estão, e você honra a cultura e as tradições do país que o protege. Você também pode prestar homenagem e respeito ao sol físico, particularmente em épocas como o nascer e o pôr do sol,  quando é mais magnífico.
Enquanto você poderia viver sem a bandeira do seu país, você não existiria um único dia sem o sol e sua luz. Mas até mesmo o sol físico cuja luz você não pode viver, é apenas um emblema do Avô Sol, o Sol Espiritual sem o qual você não seria.

O Sol também é um símbolo da Luz Interior em cada pessoa – o Divino “Sol” dentro de todos nós. Todos e cada um de nós é um Sol, que é uma estrela e nós somos descendentes do Sol. Na verdade, somos homens do Sol,  seres de Luz, filhos das estrelas.

 

 

 

Aspecto Humano: Corpo Espiritual – O Espírito

Uma definição do dicionário  para espírito é “uma força vital revitalizadora ou um princípio vital invisível e intangível”. O espírito pode ser descrito como a força motriz por trás da forma viva, seja humana, animal, vegetal, humana ou celestial. Uma diferença entre espírito e energia é que o espírito possui inteligência inerente. É necessário mais do que poder para criar um universo. Requeria inteligência. A energia cega e não desejada requer inteligência para direcioná-la e espírito para determinar sua direção.

O xamã ameríndio fez distinções claras entre alma, espírito e ego. A alma era considerada como a expressão para o espírito individualizado que foi considerado como uma “centelha” ou “glóbulo” ou célula “do Grande Espírito”. O espírito era o Self permanente – o Self eterno – enquanto o ego pertencia ao Self físico, a personalidade temporária que veio à existência no nascimento.
A vida espiritual de uma pessoa é, portanto, o aspecto mais importante de sua humanidade. É por isso que devemos determinar com o espírito – deixe nosso espírito tomar as decisões. Para estar “em equilíbrio”, precisamos receber conhecimento em nossa mente, mas é o espírito que deve ser o fator determinante em como aplicamos esse conhecimento em nossas vidas. A distinção pode ser feita cleâr desta maneira:

Mente cria.

Espírito dirige.

Força ou energia executa.

A matéria aparece.

Período De Tempo: O Momento

Este período de tempo enfatiza a importância do momento. Um momento não é apenas um ponto do tempo; é também um poder ou força que causa rotação e movimento. Para a maioria de nós, um momento pode ser considerado apenas um segundo passageiro que desaparece rapidamente. Mas a vida é composta de momentos em um fluxo sempre em movimento. O poder de um momento reside na qualidade do pensamento que está contido nele. Tenha em mente que um flash de inspiração não vem por um longo período de tempo, mas em um momento.

Estação do Leste: A Primavera

A primavera é a época em que a nova vida que foi escondida no útero da Terra é despertada e irrompe em esplendor. O Oriente, então, é a direção do Despertar e de se tornar consciente tanto “dentro” quanto “sem”.

É o lugar da vinda para a novidade da vida. É onde podemos encontrar as respostas para as nossas necessidades na natureza e no espírito

  Número do Leste: UM

O número um representa a individualidade. Uma é a mônada, a primeira, o começo, a individuação que surge do nada. É o número principal – indivisível e imutável. Significa existência e identidade. A figura ereta Um é um símbolo fálico que enfatiza a natureza masculina de alguém, a qualidade conceitual que é a semente de todos os outros números. Um tem a propulsão do princípio masculino na natureza. É o símbolo da vontade agindo através do Espírito.
Um, no Oriente, é o poder da visão clara e de perceber o alvo principal ou meta. Ele enfatiza a ação independente e a auto-organização. Em outras palavras, um enfatiza a necessidade de ter seu próprio ato juntos!
Onze é a sua contraparte para a comunicação do plano interno e para ligar-se ao Inconsciente Coletivo para possibilitar o acesso ao conhecimento antigo.

 Inimigo do Leste: Morte e a Velhice

A morte é uma inimiga até que possa ser convertida em uma conselheira que nos ensina no Oeste (e lembre-se que a morte não se aplica apenas à transição no final da vida física, mas refere-se a todas as mudanças que fazemos – cada mudança é a “morte” do que aconteceu antes. Tornamos a morte uma conselheira, aprendendo as lições dessas mudanças, sejam aplicadas ou voluntárias.

A velhice, por outro lado, é um inimiga que o aventureiro espiritual jamais poderá derrotar completamente. O melhor que podemos fazer é nos defender. Como? Permanecendo ativos e criativos e abertos a novas idéias – não nos abandonarmos à devastação do Tempo. O segredo está em adquirir a velhice juvenil.
No contexto do Leste, a percepção nos vem de que, se perdermos nosso corpo físico através da devastação da velhice ou pela morte física antes que a iluminação venha, então estaremos precisando de um ‘reequipamento’ e voltaremos para a Terra novamente em outro corpo físico para passar pelo mesmo processo de buscar, aprender, experimentar e tentar alcançar – A ILUMINAÇÃO!

Manifestação do Leste: Arte

Já que o Oriente é um símbolo da luz que surge das trevas, a criatividade é a vinda à luz daquilo que estava “oculto” no Ser e depois expressa em arte e escrita. É por isso que a arte e a escrita dão prazer à pessoa que as executa. Cada uma é uma expressão do Eu vindo à luz.