Roda – Direção Oeste – Introspecção

Direção Oeste – A Introspecção O poder que vem do Oeste é o do desenvolvimento da força interior, da autossuficiência, que nos permite enfrentar os desafios do dia-a-dia, as dificuldades da vida. É o reconhecimento dessa força que está dentro de todos nós.

  É um momento de acumular energias, de repensar o projeto de vida, os conhecimentos e deixar de lado o que é inútil, assim como as arvores deixam cair as suas folhas secas. O oeste tem o sentido de “olhar para dentro”, da introspecção. Momento de avaliar o aprendizado das ações e adquirir experiência para tomar decisões mais sábias. De avaliar as nossas verdadeiras intenções e digeri-las como o Urso em sua caverna.

O Poder do Oeste simboliza a escuridão da caverna do urso também simboliza o útero, o elemento Terra, a Raça Negra, o Reino Mineral e suas riquezas, o corpo físico, os ossos. A função principal da Direção Oeste da Roda Medicinal (em ambos os hemisférios; olhando para o Polo Sul, fica na sua mão direita) é segurar, prender. O reio Mineral tem as rochas, pedras, gemas, substâncias minerais como suportes e condutores de grande energia. No pensamento nativo as rochas e pedras já estavam no planeta antes da vegetação, animais e humanos, sendo, portanto, a mais antiga forma de vida entre os quatro reinos. Eles veem as pedras e rochas como os “ossos da Mãe-Terra”, relacionam gemas a partes do corpo físico humano. Quando seguramos um quartzo, ou qualquer pedra na mão, estamos tocando em algo que esteve no planeta antes do homem aparecer. O quartzo é visto como portador de propriedades especiais de transformação e acumulação e expansão de energia. E hoje é usado por todos em calculadoras, relógios, computadores, etc.

O corpo humano é dependente dos minerais inorgânicos essenciais e muitas desordens físicas podem ocorrer devido às deficiências ou excessos de minerais. Nosso corpo físico é o que nos prende aqui como parte da terra. Nele nós podemos explorar e experimentar o reino da matéria. A função do oeste é segurar, prender, o que não significa estagnar, congelar algo para manter do jeito que é. Os ancestrais consideram segurar como uma pausa reflexiva antes da mudança. Medows trata como um intervalo entre dar e receber ou de receber e dar. Uma aceitação do que é concebido com nossos próprios esforços e a consideração de dar de si ao sustento da roda para que ela gire.

O oeste é relacionado na cosmologia nativa norte-americana com o olhar para dentro, introspecção. Fazemos a viagem de volta para o oeste para examinar nosso eu interno e avaliarmos o que necessitamos mudar para poder crescer no novo ciclo que se aproxima. A ênfase é na mudança e na transição. É Também onde nós temos que enfrentar a realidade da morte. A morte como transição para o novo começo. O oeste é também o lugar dos sonhos e das visões sobre o futuro. Os índios americanos falam em dançar um sonho acordado, o giro dos sonhos em realidades físicas sendo práticos e realísticos. O oeste pode ser comparado ao outono que é a estação da consolidação quando o crescimento para e a preparação para a renovação começa. O oeste pode também ser comparado ao crepúsculo e ao sombrio. Meadows classifica bem os componentes do oeste:

Qualidade do Oeste: Mudança e transição.

A vida está envolta na na incerteza e no inesperado.. A mudança é inevitável, e uma coisa está determinada é que à partir do seu nascimento você caminha para a morte. Imagine que nossa caverna do urso inicial é no útero de nossa mãe, onde somos nutridos, antes de sermos concebidos, daí morremos nesse mundo e nascemos neste plano. Assim é morte, morremos nesta dimensão e nascemos em outra, onde passamos por ciclo, nos desfazemos de nossa personalidade e morremos naquela dimensão e voltamos para um novo útero, uma nova personalidade que se cria, onde embarcamos para uma aventura material, um ciclo sem fim. O xamã sabe da lei sagrada e natural de que a vida conduz à morte, assim como sabe que a morte conduz à vida. A realidade mostra a morte como parte da vida e como parte do processo de renascimento. Como um acordar e despertar contínuo. A morte é como um sono, que ao despertarmos ficamos renovados.

Segundo Meadows: Há um pensamento de que ao morrer há uma sensação de entrar num túnel, de ouvir sons incomuns, mas agradáveis, de viajar para cima num ponto distante de luz. O processo de nascimento é similar, mas mais traumático. Há uma sensação, de um som contínuo ao longo de um túnel, que é o útero da mãe e o portal do nascimento. Com nascimento há uma sensação de confinamento, de sentir uma pressão que carrega para baixo, visto que com morte há uma sensação da liberação da pressão para cima. Se, consequentemente, você sobrevive depois que o corpo morre, você também existiu antes que o corpo esteve carregado com sua alma – apenas porque é o mesmo ‘ você ‘ nessas vigílias após o sono. A morte é assim uma parte da vida e está neste contexto inteiro da continuidade da vida que uma outra lei cósmica: a lei do karma opera. Muitos autores descrevem o karma como lei de causa e efeito ou como uma dívida que deva ser paga por ações de vidas passadas.

Segundo Meadows, o pensamento nativo tem uma compreensão diferente, eles o consideram um professor que ensina aspectos que estão fora do equilíbrio e que necessitam ser corrigidos. São as situações repetitivas da vida, os discos rachados, os velhos problemas que retornam repetitivas vezes, em circunstancias diferentes. Ele compreende lições de nossa vida que são parte de nosso destino. Lições que devemos aprender para crescermos espiritualmente, evoluirmos, e assim cumprirmos a missão de nossa existência.

O xamã sabia de uma Lei Sagrada que também era uma lei natural porque ele observava sua ação ao redor dele. A vida leva à morte.Mas ele também sabia o lado oposto dessa lei:
A morte leva à vida.Ele sabia e entendia, porque Vida e Morte são apenas voltas do Círculo. Todo mundo tem medo da morte. Mas a morte é a experiência mais traumática que você provavelmente enfrentará? Considere isto: a morte pode ser mais traumática do que a sua vinda à vida? Isso foi uma viagem. A Essência de Você deveria estar contida dentro de um veículo de carne e osso, osso e tendões, que seriam unidos e montados dentro da abdômen de uma mulher. Então, no devido tempo, você seria empurrado através de um minúsculo túnel sufocante para a luz. Essa seria uma experiência claustrofóbica.

E quando você passasse por aquele túnel estreito e confinado, seu sistema de suporte vital seria cortado. Você ficará completamente desamparado por muitos meses, à mercê de algum ser humano inexperiente que alegou ser sua mãe. Mesmo quando você foi capaz de assumir o controle total do veículo que você foi fornecido, você seria confrontado com todos os traumas, dramas, perigos e incertezas de vida. Ainda pior. … Pior? Certamente não pode haver algo pior? Pior – você perderia toda a memória de quem você é, o que você é, de onde você é e por que você fez a viagem no primeiro lugar. Se isso é Vida, certamente a Morte não pode ser tão ruim assim?

Naturalmente, o conceito com o qual sofremos lavagem cerebral é que a morte é o fim da vida. Mas a realidade, como a natureza tenta nos mostrar, é que a morte é uma parte da vida. A morte faz parte do processo de renascimento. E você tem um exemplo para provar isso a você todos os dias. Você não tem medo de ir dormir para dormir. No final do dia o seu corpo está cansado e a sua mente também procura refresco. Na verdade, você está ansioso para ter uma boa noite de sono e acorda no dia seguinte revigorado, revitalizado e recarregado com uma energia “nova”, pronta para começar outro novo dia. Você acorda na manhã seguinte sendo precisamente o mesmo indivíduo consciente que você era na noite anterior. A morte, como o sono, também não é um fim, mas parte de um processo criativo no qual a alma é retomada para um lugar de descanso, renovação.

Se, portanto, você sobrevive depois que o corpo morre, então você também existiu antes do corpo nascer – assim como é o mesmo ‘você’ que acorda após o sono.
A morte é, portanto, uma parte da vida e é em todo este contexto da continuidade da vida que uma outra lei cósmica – a Lei do Karma – opera. Existem muitas teorias sobre o karma. Uma é que é simplesmente causa e efeito – o que é semeado é finalmente colhido. Circunstâncias adversas, provações e tribulações, deficiências e fardos, são consideradas por essa escola de pensamento como cargas cármicas para compensar algumas contravenções do passado, mesmo de uma vida passada. O xamã indiano entendeu de forma diferente e de uma forma mais positiva.

Karma é um professor que indica onde os aspectos da vida estão desequilibrados e precisam ser corrigidos. Experiências kármicas são padrões repetitivos na vida – o mesmo problema antigo ou problemas recorrentes de novo e de novo, talvez sob diferentes disfarces e sob diferentes condições. Em outras palavras, o carma compreende as lições de vida que fazem parte do destino de alguém. São experiências pré-determinadas de aprendizado a serem encontradas para nos ajudar a crescer, desenvolver e evoluir espiritualmente para que possamos cumprir o verdadeiro propósito de nossa vida que é a educação e o desenvolvimento da Alma e do Espírito.

Totem do Oeste: Urso Cinzento

O urso é conhecido pela sua grande força. Podemos comparar essa força não tanto ao poder físico, mas ao poder interior – como o que vem para a Terra no outono, que é a estação do Ocidente. O índio observou que o Urso parecia introspectivo em relação à tomada de decisões, e essa qualidade serviu como exemplo de que o ser humano também deveria ser voltado para dentro, antes de tomar decisões importantes. Nós também devemos olhar dentro de nós mesmos para determinar nossas próprias forças e fraquezas e devemos olhar dentro do nosso próprio coração para examinar nossas verdadeiras intenções, se quisermos aprender as lições que devemos, e tomar decisões sábias.

O Urso conhecia a Terra tão bem que estava ciente do que era necessário para ajudar na cura de doenças ou ferimentos. Podemos aprender com o Urso, transformando nosso atenção aos alimentos mais naturais para sustentar o corpo, em vez de alimentos manufaturados e processados, e aos remédios naturais para manter a saúde física – aqueles que não têm efeitos colaterais prejudiciais. Assim como o Urso se prepara para o tempo de renovação da hibernação por vir, fortalecendo seu corpo, devemos primeiro cuidar do físico e do mundano e colocar nossos assuntos cotidianos em ordem antes que a renovação espiritual possa ser efetuada.

Elemento do Oeste: Terra

As características da Terra Elementar são solidez, inércia e estabilidade. É movimento em repouso. A Terra Elemental é a “substância” elementar que entra em forma e forma e se torna tangível e reconhecível – vindo “para a terra”. A matéria é aquela que parece ser. É importante ter em mente que a matéria é uma aparência, e é isso que torna a Terra Elementar talvez a menos compreendida das substâncias elementares. Em um nível prático, passamos muito do nosso tempo preocupados com a aquisição de coisas físicas e tangíveis, mas ao mesmo tempo não gostamos das restrições e limitações que o material nos impõe. O Ocidente é o lugar do material, das aparências, do mundo da forma, da manifestação física e do aprendizado para enfrentá-lo.

Você não pode desenvolver sua consciência espiritual rejeitando o material ou dando as costas para ele. O físico e o material fazem parte da Criação, não uma secreção a ser eliminada em alguma busca equivocada de “espiritualidade”, e não algo a ser descartado como algo que não é bom “. Não se deixe enganar por um senso de falsa espiritualidade. Você está aqui no mundo material da forma. Você vive no mundo material da forma, e parte da razão de estar aqui é aprender a controlar o material através do uso de leis naturais e de forças e princípios cósmicos. O trabalho espiritual é de pouco valor, a menos que possa ser aterrado ”.

Você não acha que deu prazer à Inteligência Cósmica trazer o mundo físico da forma à manifestação? Saia para o campo ou para um parque ou bosque e olhe à sua volta a beleza da Terra natural. Embora o homem tenha moldado a maior parte dela cultivando, não lhe dá uma emoção de prazer absorver sua magnificência? Não pretendemos rejeitar o material de preferência por alguma alternativa espiritual nebulosa, mas apreciar o físico e, ao mesmo tempo, procurar a realidade por trás dele. Ambos em parceria igual.
Os objetos físicos só parecem e se sentem sólidos porque seus átomos estão girando em velocidades fantásticas. Como em um filme, pessoas e veículos parecem se mover, mas o que estamos vendo é uma sucessão de imagens estáticas sendo projetadas em tal velocidade que parece haver movimento, mas a aparência é, de fato, uma ilusão. Um átomo é principalmente espaço. Toda a matéria é tão espaçosa quanto o universo parece ser, e as partículas do átomo são como as estrelas e planetas movendo-se em um padrão contínuo. Se pudéssemos viajar longe o suficiente no espaço exterior e olhar para o universo, ele também pareceria sólido. A terra é frequentemente representada pela sua forma mais durável – uma pedra. Uma pedra sugere não apenas solidez, mas resiliência e segurança – qualidades de pessoas fortemente influenciadas pela Terra Elemental. A terra é yin – passiva, receptiva, estimulante.

Cor do Oeste: Preto

A luz sai das trevas e o preto é a cor da ausência de forma da qual tudo vem. O preto absorve, armazena e protege. É a cor do mistério, das profundezas ocultas e dos anseios secretos. O preto está preocupado com o inconsciente e com a germinação.

Sem a escuridão não poderia haver luz, pois a escuridão é o oposto da luz e contrasta suas qualidades específicas. O preto absorve todas as cores dentro de si e é a polaridade receptiva do espectro de cores. É a ‘cor’ do ‘Look Within’ Place, da introspecção e da retirada. Está preocupado com a dispersão e com a transformação.

O preto está relacionado com o aspecto feminino da nossa natureza – seja masculino ou feminino – com receptividade e sensibilidade e com sentimentos mais profundos.

Reino do Oeste: Reino Mineral

Quando a própria Terra estava em seu estágio embrionário, as rochas primitivas se desenvolveram como o esqueleto humano e podem ser consideradas como os “ossos” da Terra, enquanto a superfície terrestre pode ser comparada à pele, as árvores e a vegetação aos cabelos e assim por diante. Os indianos consideravam cristais de quartzo, por exemplo, como as células cerebrais da avó Terra.

Os xamãs sabiam que, embora rochas e pedras não tenham olhos como animais e animais, elas têm uma sensação de “visão” e, embora não tenham ouvidos, há pedras que “ouvem”. Para o xamã havia um conexão entre os órgãos dos sentidos do ser humano e certas pedras que tinham poderes de cura para o órgão particular com o qual estava relacionado. Beryl e água-marinha estavam relacionados com a visão, ônix para ouvir, cornalina para tocar, topázio a gosto, jaspar para cheirar, rubi para a intuição e opala para o intelecto.
O Reino Mineral é visto como detentor e controlador de energia, e é o mais antigo dos reinos para as rochas e pedras que existiam aqui na Terra antes que houvesse plantas, animais ou humanos. O cristal de quartzo era particularmente altamente considerado. Tem propriedades muito especiais, não apenas como armazenador e transformador de energia, mas porque possui a mesma composição química (Sj02) que a sílica, que é um mineral natural dentro do corpo.

O corpo humano é dependente de minerais inorgânicos essenciais. De fato, os distúrbios do corpo humano podem frequentemente ser atribuídos a deficiências em um ou mais desses minerais inorgânicos que, como armazenadores de energia, precisam ser renovados ou substituídos. Uma deficiência de cálcio, por exemplo, pode causar problemas nos ossos, especialmente nas articulações, e a falta de sódio pode causar problemas digestivos e até mesmo reumatismo.

Elemento: Terra

O Elemento do Oeste é a Terra, representada pelo seu filho mais durável e forte, a pedra. A pedra não sugere apenas a solidificação mas a resiliência ( resistir a pressão e ser flexível perante aos desafios) e segurança. A terra é o yin, o passivo, o receptivo, a nutrição.

As características da Terra Elementar são solidez, inércia e estabilidade. É movimento em repouso. A Terra Elemental é a “substância” elementar que entra em forma e forma e se torna tangível e reconhecível – vindo “para a terra”. A matéria é aquela que parece ser. É importante ter em mente que a matéria é uma aparência, e é isso que torna a Terra Elementar talvez a menos compreendida das substâncias elementares.

Em um nível prático, passamos muito do nosso tempo preocupados com a aquisição de coisas físicas e tangíveis, mas ao mesmo tempo não gostamos das restrições e limitações que o material nos impõe. O Ocidente é o lugar do material, das aparências, do mundo da forma, da manifestação física e do aprendizado para enfrentá-lo.
Você não pode desenvolver sua consciência espiritual rejeitando o material ou dando as costas para ele. O físico e o material fazem parte da Criação, não uma secreção a ser eliminada em alguma busca equivocada de “espiritualidade”, não algo a ser descartado como algo “não agradável”. Não se deixe enganar por um senso de falsa espiritualidade. Você está aqui no mundo material da forma. Você vive no mundo material da forma, e parte da razão de estar aqui é aprender a controlar o material através do uso de leis naturais e de forças e princípios cósmicos. O trabalho espiritual é de pouco valor, a menos que possa ser aterrado ”.

Você não acha que deu prazer à Inteligência Cósmica trazer o mundo físico da forma à manifestação? Saia para o campo ou para um parque ou bosque e olhe à sua volta a beleza da Terra natural. Embora o homem tenha moldado a maior parte dela cultivando, não lhe dá uma emoção de prazer absorver sua magnificência? Não pretendemos rejeitar o material de preferência por alguma alternativa espiritual nebulosa, mas apreciar o físico e, ao mesmo tempo, procurar a realidade por trás dele. Ambos em parceria igual.
Os objetos físicos só parecem e se sentem sólidos porque seus átomos estão girando em velocidades fantásticas. Como em um filme, pessoas e veículos parecem se mover, mas o que estamos vendo é uma sucessão de imagens estáticas sendo projetadas em tal velocidade que parece haver movimento, mas a aparência é, emAs características da Terra Elementar são solidez, inércia e estabilidade. É movimento em repouso. A Terra Elemental é a “substância” elementar que entra em forma e forma e se torna tangível e reconhecível – vindo “para a terra”. A matéria é aquela que parece ser. É importante ter em mente que a matéria é uma aparência, e é isso que torna a Terra Elementar talvez a menos compreendida das substâncias elementares.

Em um nível prático, passamos muito do nosso tempo preocupados com a aquisição de coisas físicas e tangíveis, mas ao mesmo tempo não gostamos das restrições e limitações que o material nos impõe. O Ocidente é o lugar do material, das aparências, do mundo da forma, da manifestação física e do aprendizado para enfrentá-lo.
Você não pode desenvolver sua consciência espiritual rejeitando o material ou dando as costas para ele. O físico e o material fazem parte da Criação, não uma secreção a ser eliminada em alguma busca equivocada de “espiritualidade”, não algo a ser descartado como algo “não agradável”. Não se deixe enganar por um senso de falsa espiritualidade. Você está aqui no mundo material da forma. Você vive no mundo material da forma, e parte da razão de estar aqui é aprender a controlar o material através do uso de leis naturais e de forças e princípios cósmicos. O trabalho espiritual é de pouco valor, a menos que possa ser aterrado ”.

Cor: Preto

A cor do oeste é o preto. A Luz sai da escuridão. Ele absorve e armazena, é a cor do mistério e da profundidade, da germinação. É a cor do olhar para dentro, da introspecção, do aspecto feminino de nossa existência, o escuro da caverna do urso, o útero da mãe.

Corpo Celestial: Mãe Terra

O pensamento nativo trata a terra como ser vivo e verdadeiramente sua ‘ mãe ‘. Ela quem forneceu seu corpo físico, cuja a substância é sua substância e é nela onde as entidades do espírito podem encarnar e experimentar o reino físico. Deve-se dar amor e cuidados com a Mãe-Terra, com o mesmo sentimento e emoção que deve-se ter para com os humanos. É a Mãe que tudo nos dá, morada, água, alimento e beleza. Nos recebe à cada vida e acolhe carinhosamente nossa carne na morte
O Oeste, então, é um lugar apropriado para nos perguntarmos: ‘Não deveríamos amar a Mãe-Mãe da Terra como os índios amavam a Terra e todas as coisas da Terra?’ Pois se nos falta verdadeiro respeito pela Terra e por qualquer criatura viva, não nos arriscamos a perder o respeito pela sacralidade da própria vida? A história, infelizmente, indica que nós fazemos. É somente aproximando-se da Mãe Terra quando uma criança procura estar perto de sua mãe, que podemos nos tornar sensíveis aos poderes da Terra.

Aspecto Humano: Corpo físico.

O corpo físico é um veículo ou traje para a habitação do Espírito e da Alma.
Quando as forças que operam no corpo físico estão em harmonia e equilíbrio, o corpo está em boa saúde. Se há desarmonia ou desequilíbrio, elas se materializam como doença ou enfermidade. A manutenção da boa saúde é uma questão de manter as forças dentro do corpo em harmonia adequada. A restauração da boa saúde é conseguida através do equilíbrio dessas forças.
O lado positivo dos elementos que operam dentro do corpo executa os processos de construção, sustentação e reparação, enquanto os aspectos negativos estão relacionados com a dissolução e a quebra. O “ponto de equilíbrio” neutro diz respeito à preservação.
Nosso corpo físico é um equipamento complexo e sofisticado, o veículo mais maravilhoso que já foi inventado. No entanto, apesar do progresso da ciência médica e da pesquisa, o homem ainda é ignorante sobre por que algumas partes do corpo funcionam como o fazem e o que realmente faz com que elas funcionem.

A ciência médica moderna ainda persiste no tratamento do sintoma e não da pessoa. Em outras palavras, ainda há muito sobre o corpo humano que os médicos mais instruídos ainda são incertos ou ignorantes. Os antigos estavam cientes dos recursos internos do corpo humano, dos órgãos dos sentidos e dos sistemas de energia que a ciência médica moderna ainda precisa descobrir.

Período de Tempo do Oeste: O Presente

O passado foi embora. Você não pode mudar o passado, apenas aprender com ele. O presente está acontecendo agora. O futuro ainda não existe, mas pode ser influenciado pelo nosso pensamento atual. É por isso que o Presente é tão importante, pois é somente no Presente que podemos trabalhar em Mudança.
Você cria muito do seu futuro de acordo com suas crenças. Se você quer um Futuro melhor que o Passado, você precisa mudar seu sistema de crenças – seu padrão de crença.
As crenças, valores, padrões, padrões de ideais que foram “programados” em você por seus pais, professores, líderes religiosos, costumes sociais e a sociedade na qual você viveu – condicionaram e moldaram o Presente. Você foi programado para o tipo de vida que você está vivendo agora. Se você está insatisfeito com qualquer aspecto de sua vida como é agora, você tem que mudar o programa. Sua felicidade futura está em grande parte em suas mãos. Mude as crenças e atitudes e você muda o programa. Mude o programa e mude o futuro. Esse foi um dos segredos dos antigos.

 Estação do Oeste: Outono

Assim como o outono é uma das épocas mais bonitas do ano, quando a folhagem é uma profusão de cores suaves e suaves, na direção oeste podemos passar por algumas de nossas mais belas experiências espirituais.

O outono é o tempo da natureza de virar para dentro. É a época em que a essência da vida começa a se retirar para a semente. Retirando-nos por algum tempo da ocupação das atividades externas, podemos olhar para dentro e descobrir verdades sobre nós mesmos que podem, em última análise, florescer em uma novidade de vida.

 Número do Oeste: DOIS (..)

Dois é o número atribuído ao Ocidente nos Vinte Conde. Dois tem qualidades suaves e receptivas – as do princípio feminino e do introspecção. É o número da dualidade. Toda a criação material, que está sendo enfatizada no Ocidente, é uma expressão desse dualismo.
A dualidade é a coisa mais evidente da existência. É noite e dia, verão e inverno, inalação e exalação, quente e frio, sol e lua. Até mesmo a própria Verdade é dual na natureza, pois é exotérica e esotérica – há a verdade do que parece ser e a verdade do que é. Os ensinamentos do Caminho da Medicina também têm uma dualidade de significado.
Dois sugerem a união e a geração de força sendo estimulada em forma. Nos planos internos, doze é o número de estabilidade organizacional em um nível espiritual. Também se preocupa com o espírito dos planetas.

Inimigo do Oeste : Impotência

O inimigo do Ocidente é a impotência. Precisamos de poder para alcançar. De fato, quando nos purificamos e procuramos trocar o lixo do passado por sabedoria, chegamos ao Presente e despertamos nosso poder. Precisamos do poder como amigo e aliado. A falta de poder é, portanto, um inimigo. Olhe em volta e observe como as pessoas estão usando o poder que possuem. Na maioria das vezes, o poder está sendo usado para controlar a vida dos outros, para usar outros para propósitos inteiramente egoístas e para satisfazer a luxúria e a cobiça. Isso ocorre porque as vítimas sofrem de impotência.

O poder pode ser usado para o bem ou para o mal – assim como a eletricidade ou a energia nuclear. O abuso de poder é muito comum e é por isso que a antiga sabedoria foi guardada e os segredos dos ensinamentos da Roda da Medicina escondidos dentro das tradições orais dos xamãs. Quando o poder é abusado ou mal usado, ele é autodestrutivo – pode voltar para aquele que o abusou ou aplicou mal. Quando o poder é usado construtivamente e para o bem de todos, então é nosso amigo.
Desenvolva autoconfiança otimista. Seja positivo. Se o que você deseja fazer não machuca ninguém, inclusive você, faça isso. Exercite seu poder. Não seja impotente. Resista ao abuso de poder e opressão.

Manifestação do Ocidente: Magia

Magia é um componente do Oeste, é o poder de mudar as coisas. Magia não é truque de entretenimento, nem é o truque sobrenatural supostamente por alguns religiosos e projetado por filmes de culto. O verdadeiro Magia  é uma grafia deliberada para indicar a diferença entre a magia de trazer mudanças desejadas, a magia da ilusão e da trapaça e superstição, e a magia do ocultista cerimonial. a arte de trazer as mudanças desejadas. O Ocidente também é sobre o físico, como temos descoberto, e antes que você possa executar o Magik, primeiro você deve aprender a controlar o físico.
Magia é a tecelagem e moldagem de forças e energias invisíveis na forma. Então Magik pode ser descrito como o ofício de moldar as coisas da maneira que queremos que elas sejam. O xamã, com a sabedoria e conhecimento para moldar Magia, era, portanto, um ‘sábio distribuidor’. Magia é a arte de trazer para a sua vida, ou a vida daqueles que buscam sua ajuda, as mudanças que são desejadas, seja na forma de objetos físicos ou em condições e circunstâncias. É a direção voluntária das energias para trazer essas mudanças à existência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *