Roda Medicinal – A Base

 

O QUE É ?

Basicamente, a Roda Medicinal é um instrumento físico, mental, emocional e espiritual, que habilita seu uso para sintonizar, a nós mesmos, com as influências e forças da Terra, e com as energias naturais que afetam nossas vidas. Ela compreende símbolos na forma de uma cruz circundada. Os nativos americanos representam esses símbolos com pedras colocadas no chão. Existem círculos de pedras ancestrais em diversas partes do mundo.

Formas de Roda Medicinal existem por todo o globo desde o Grande Círculo de Pedras da Europa até as Mandalas na Índia. Todas elas são remanescentes do passado quando o mundo era guiado pela lei de relacionamentos corretos, respeito humano à todos os seres  e à Todas As Nossas Relações – minerais, plantas, animais, espíritos em cima da Mãe Terra. A Roda significa um círculo ou espiral de geração de poder, debaixo do controle da mente, que é multidimensional. Considera os planos físico, mental, emocional e espiritual. É o mapa da mente, a carta da vida, que permite seu uso para obter maior auto-conhecimento, mais auto-controle, melhorar a vida, obter satisfação. A roda é composta por um grupo de símbolos. Ela pode ser construída simplesmente colocando pequenas pedras em forma circular.

uma visão similar de 20.000 Rodas Medicinais

Essencialmente, a Medicina da Terra é um sistema de autoconhecimento. Ela tem algumas similaridades com a Astrologia Solar. Desde o lugar inicial, e também o tempo do nascimento, e suas 12 Divisões correspondem aproximadamente aos signos solares, mas não pelos movimentos das estrelas e dos planetas e suas influências no comportamento humano, não envolve cálculos complexos, transitos, progressões. É uma perspectiva diferente.

A astrologia solar é fundada no princípio de que: “O que está acima, está abaixo; a Medicina da Terra é influenciada por outro conceito ancestral:  Assim como Dentro… Fora” essa é a ênfase.

Muito embora a nossa Roda Medicinal Voo da Águia seja baseada nos nativos norte americanos e no Xamanismo Celta (Roda da Vida), ela abarca princípios que são achados em outras culturas também, por dividir aspectos vitais da filosofia circular ancestral de várias tradições. A razão disso é que todas são derivadas de uma fonte ancestral comum “O Círculo da Vida e Poder” que é o original “Círculo Mágico” e tem suas raízes no passado distante de todas as culturas, ensinamentos e como alegoria de mitos e lendas de todos os povos. Origens estas que estão se perdendo. Essa Roda Medicinal pode ser acrescida de 16 pedras e chegar até a 40, para representar a teia universal de poder onde todas as coisas são conectadas.

O Círculo da Vida é o Círculo do Poder, poder acima de nossa própria vida. O que os nativos americanos chamam de Roda Medicinal, medicina significa “poder” e poder significa “conhecimento”.  Roda Medicinal é ” Círculo de Conhecimento” que traz poder para a nossa vida.

Esse Círculo de Conhecimento e Poder era também, a base dos ensinamentos místicos do Antigo Egito e da Grécia. O zodíaco usado com Astrologia solar, O Ciclo do Ano na Astrologia Chinesa, o Circular Oráculo do I Ching, o oráculo japonês Ki, todos são originários da mesma fonte. Existe o Caldeirão Místico britânico, a Távola Redonda do legendário Rei Arthur, o Cálice do Graal, o Círculo Sagrado da Bruxaria.

Qualquer que seja a representação simbólica, em qualquer era e em qualquer cultura, representa o Círculo de Conhecimento, o Círculo de Poder, uma Roda Medicinal, que serve como um espelho. Olhando dentro desse espelho poderá ver o reflexo do Universo,  o que os índios chamam de “Wakan Tanka”, o Grande Tudo, que contém a totalidade. Pode-se ver o Universo trabalhando, e chegando para o entendimento dos mecanismos da vida, do cosmos, e das leis naturais. Princípio e forças que energizam e contornam as vidas humanas.

Nessa reflexão é possível também ver a interdependência de todas as coisas, descobrir os relacionamentos com todas as coisas, e por meio disso, chegar a um grande entendimento da “Totalidade do Grande Tudo”. Buscar também, a realização do que está sendo experimentado no mundo com realidades objetivas “fora” e a reflexão também da realidade subjetiva que está “dentro”, seja no individual ou na coletividade.

Servia como:

  • laboratórios astronômicos
  • para marcar o tempo
  • mudar as suas próprias vidas assim como a vida da Terra
  • para rezar, meditar
  • contemplar o grau de entendimento de nós mesmos e nosso relacionamento com toda a Criação
  • Rodas Medicinais eram usualmente colocadas em áreas onde a energia da Terra poderia ser fortemente sentida e seu uso na cerimônia faz esta energia ficar ainda mais forte
  • áreas da Roda Medicinal fazem com que o corpo chame novos vórtices: lugares de intensas energias da Terra e de cura

Cada pedra na Roda Medicinal é uma ferramenta:

  • para ajudar a você a entender traços de seu passado que moldam o presente e o futuro planetário
  • cada posição na Roda Medicinal afetará diretamente à você e algum ponto de sua vida

O círculo como o principal símbolo para o entendimento dos mistérios:

  •  O homem olha o mundo através dos olhos. A Terra, a Lua, o Sol, os planetas; são todos circulares
  • O nascer e o por do Sol, acompanham um movimento circular. As estações formam um círculo. Os pássaros constroem ninhos em círculos, animais marcam seus territórios em círculos. As típis (cabanas) são circulares, as típis das comunidades eram dispostas de maneira circular. A vida inteira, para o nativo, discorre de maneira circular
  • Quando um xamã construiu uma Roda Medicinal, ele reconstruiu a representação simbólica do Universo e da mente Universal
  • Para o nativo, medicina significa poder, energia vital que está em todas as formas da natureza. Eles tem um conceito de um vórtex (espiral de energia) em movimento

No simbolismo ancestral o círculo é o símbolo do espaço infinito, sem começo e sem fim, e quando dividido por uma linha horizontal ele indicava a divisão do espaço infinito na ordem para prover as vida no tempo, no aqui e agora. Dividido por uma vertical, representa também a força receptiva, o princípio feminino, sem largura ou profundidade. Tudo é nascido da mulher e o poder ativo e força conceitual, o princípio masculino. A fusão das  duas linha no círculo formam uma terceira que é uma cruz circundada. Tempo e espaço. A cruz quando contida dentro de um círculo é um símbolo do ilimitado e mudando a realidade das coisas, perpetuando o espírito. Pode representar também as quatro expressões do poder cósmico fluindo para sua fonte, ou quatro elementos, quatro corpos, e muito mais. No silêncio do vazio existe movimento. A origem. O começo é também o fim. De tudo flui e tudo pode ao final retornar. A Suprema Unidade.

Existem 3 facetas da Roda Medicinal:

1 ) Nos ajuda como conhecer e entender a nós mesmos. É um meio de descobrir potenciais ocultos para que nós possamos desenvolver e dar maior sentido na vida. Ela também ajuda a entender os outros e a ajudar a ter melhores relações humanas.

2 ) Pode ajudar a achar o significado e propósito de nossas vidas. Ela nos encoraja para aceitar a responsabilidade pela nossa própria vida e a ter  liberdade pessoal. Então na Medicina da Terra, vence a verdade livre, individual, que requer constante acompanhamento pessoal e responsabilidade ao longo do caminho.

3 ) Nos evita achar que somos  vítimas de circunstâncias, e ensina-nos a ser mestres de nosso próprio destino. A Medicina da Terra nos ajuda a tomar controle da nossa própria vida.

A Roda não representa somente um universo de nossa própria vida e o produto de nossa própria mente, mas o Cosmos e a mente de Wakan Tanka, em manifestação de tudo na existência e como manifestação do pensamento. Cada parte do universo físico e cada coisa viva na Terra era vista como tendo origens no não material, mas no espiritual, mental e cada manifestação era um estado contínuo de mudança.

O Espírito ou a essência é aquela inteligência seja humana, animal, planta ou mineral, todos juntos numa sincronização harmônica. O círculo então é o símbolo da totalidade, que representa o Universo. A totalidade de espaço, ou o individual e tudo em volta dele. Em outras palavras quando você constrói a Roda ela torna-se o seu espaço pessoal, seu Universo Pessoal.

Composição:

A Roda Medicinal pode ser construída de pedras grandes que possibilitam às pessoas participarem, caminharem nas posições, ou de pequenas pedras para uso individual num altar. Similarmente a Roda é adaptável e pode ser representada simplesmente por um simples desenho. Ela mostra que o importante é ter a Roda na mente, muito mais do que pedras ou máscaras de nós mesmos.

O centro do círculo  indica caminhos que representam a Fonte, o Criador, mas pode também representar o Self. O perímetro do círculo é marcado por outras pedras que representam poderes do Universo, e dentro do homem como ele pode trazer equilíbrio harmônico. Ele serve também para relembrar a lei das oitavas – ou as leis harmônicas.

O crânio de búfalo era algumas vezes colocado no centro da Roda, como o assento da mente e da consciência e também símbolo da representação de Wakan Tanka, o Grande Mistério – O Grande Espírito – O Grande Tudo – e chega para a pessoa na sabedoria da mente criativa de Tudo O Que Há. O índio americano só usa crânio de búfalo para indicar a Fonte, o centro do círculo interno, e isso porque o búfalo tem uma simbologia particular, o animal que providenciava para o índio tudo o que era necessário para a sobrevivência (típis, roupas, mocassins, comida, cobertas, instrumentos, etc). Não é necessário ter um crânio de búfalo no Centro, o importante é ter na mente o que ele representa. O centro pode ser deixado vazio como lembrança que é a Invisível Fonte de Tudo.

A Pedra Criador, ou símbolo, é o centro da Roda Medicinal, assim como o Criador é o centro de toda vida, sempre criando, começando, encerrando, sempre movendo, sempre continuando. Deste centro irradia a energia que cria todo o resto da Roda. As sete pedras que circundam o criador formam o Centro do Círculo da Roda e representa a Fundação de toda a vida. Ligeiramente para o Noroeste está a pedra que representa a Mãe Terra, a entidade que nos dá o nosso lar e as nossa vidas. Continuando no  sentido anti-horário para o Hemisfério Sul, como sempre fazemos quando usamos a Roda Medicinal é a pedra do Pai Sol que esquenta e nutre a vida. A Próxima é a Pedra Vovó Lua, que guia nossos sonhos e visões, acompanhada pela pedra do Clã da Tartaruga, representando o elemento Terra; o clã do Sapo, representando o elemento Água; o clã do Pássaro Trovão, representando o elemento Fogo, e o clã da Borboleta representando o elemento Ar. Estas sete pedras ensinam sobre a construção básica dos blocos de vida.

O interior do Círculo de oito pedras, formam outro em volta da Fonte no centro, e representam o interior e as realidades espirituais. Iniciando os braços, na cruz da roda estão as 4 direções representando os Quatro Grandes Caminhos: Amor e Confiança no Norte – Sabedoria e Conhecimento no Sul – Introspecção e Transformação no Oeste – Iluminação e Claridade no Leste.

As pedras colocadas em cada ponto cardeal representam os 4 Poderes Direcionais, algumas vezes é referido como 4 Ventos. Nas pedras ancoradas para o outro círculo da Roda Medicinal estão as quatro pedras honrando os espíritos Guardiões: Waboose no Sul; Wabun no Leste; Shawnodese no Norte; Mudjekeewis no Oeste. Essas pedras Espíritos Guardiões, dividem o círculo em quadrantes que servem de fronteiras para as 12 pedras das Luas do outro círculo. Essas pedras representam as luas que dividem o ano. Delas, aprendemos mais sobre cada estação; cada hora do dia e hora da vida; e a cada mineral, planta animal, clã elemental, Espíritos Guardiões em direção ao Centro do Círculo. Eles representam qualidades que alcançamos no Espaço Sagrado do Criador. Essas doze pedras são arranjadas em círculo como um compasso delineando a Roda Medicinal. Cada uma dessas pedras representam um ponto de percepção e um segmento de tempo no natural Ciclo do Ano, e aproxima-se do que chamamos meses.

Os caminhos espirituais que conduzem cada pedra Espírito Guardião através do centro do círculo, nos lembra as dádivas que os Espíritos Guardiões nos ensinam, das qualidades que necessitamos para ir de outra parte da roda Medicinal, para o Centro. Iremos viajar em Waboose, nos Caminhos Espirituais da Limpeza, Renovação e Pureza. Em Wabun, viajaremos nos Caminhos Espirituais da Iluminação, Claridade e Sabedoria. Em Shawnodese, viajaremos nos Caminhos Espirituais do Amor, Confiança/Fé, Crescimento. Em Mudjekeewis, viajaremos nos Caminhos Espirituais da Força, Experiência, Introspecção.

O Círculo de conhecimento de poder torna-se um espelho de suas faces, que pode ser visto como nosso espelho pessoal, um espelho do Micro Universo que é o Círculo da Consciência Individual, o self. Pode ver as forças e energias que formam o individual, as características e traços da personalidade – a face que apresentamos ao mundo. E, se nós olharmos suficientemente profundo, nós sempre pegaremos repentinamente, o self  escondido, o próprio self, que é o self verdadeiro ou o self reale que alguns chamam de alma. Esse espelho pessoal é a Medicina da Terra.

Quando nós olhamos para o espelho pessoal da Medicina da Terra, nós vemos o reflexo de nossa personalidade que está escondida e tratamos nessa existência como uma roupa que usamos. Quando nós colocamos uma roupa vamos ao espelho para nos olhar e ver se estamos adequados. A Medicina da Terra é como isso. Ela provê meios de checar a nossa personalidade, as qualidades e os atributos que adquirimos na vida e a forma que aparecemos para os outros. Quando olhamos pelo espelho ordinário e vemos uma roupa que não nos caiu bem e trocamos, na Medicina da Terra nós olhamos e removemos aquilo que causa problemas à nossa vida. Olhamos nossas forças e nossas fraquezas. Assim, nossos defeitos podem virar oportunidades, oportunidades onde desenvolvemos novas forças. Por reconhecer nossos defeitos ao invés de ignorá-los , ou quando criamos desculpas. Se nós o aceitamos positivamente, não como dívidas, mas como oportunidades, nós desenvolvemos individualidade e força em nossa personalidade. Nossos erros podem ser simultaneamente reconhecidos e aceitos então, nós não cultivamos remorsos ou autopiedade, vemos como lições a serem aprendidas. Por reconhecer nossos erros e aceitar a responsabilidade por eles, nós os convertemos na positiva oportunidade de nosso crescimento e nos tornarmos mestres das situações. Esta é a parte da sabedoria da Roda Medicinal.

Segundo Kenneth Meadows, que denominou a Roda Medicinal como a “Medicina da Terra”:
Qualquer que seja o ânimo de seu Caminhar na Terra, onde está você nessa jornada? Onde você situa-se agora? Como anda sua cabeça? Sua vida é uma aventura excitante, ou apenas entediante? Se você está desnorteado devido à frustrações e decepções, se está confuso, isso não é porque não tem uma direção clara? Se você tem andado determinado no mapa do território, e se você não pode ver sinais para guia-lo, se as maravilhas da vida são para você um quebra-cabeças? O Caminhar na Terra providencia um mapa para você, e o sentido, para guiar seu caminho. É a ciência da vida baseada em conhecimentos medicinais que tem sua origem na sabedoria ancestral perdida, e que pode ser resgatada. Esses ensinamentos não servem apenas para uma tribo em particular ou para um grupo de tribos, mas é uma essência de um conhecimento que impregna a todos. Ela desenvolve a consciência individual de quem nós somos, onde nós estamos, e, se nós estamos descontentes com algum aspecto em nossa vida, nós mesmos podemos mudá-lo e chegar até onde o Self Real tenciona levar-nos. Seu Caminhar na Terra é a forma que vive sua vida. É o caminho onde expressa sua personalidade. É o caminho para viver seus sonhos. Sua aspirações. Sua esperança. Seus medos. Seu Caminhar na Terra é um passeio incerto, ou uma caminhada longa e penosa? Você mostra-se impaciente ou enraivecido? Ou está estimulado, cheio de ambição que não para nesse caminho?

Esse conhecimento, ainda disposto na mente do homem vermelho, é estruturado dentro de um sistema completo, que foi traduzido para os modernos tempos e adaptado às circunstâncias de homens e mulheres materialistas, vivendo numa sociedade orientada para o consumo onde perdeu-se o contato com a Terra e com a Natureza.

A Roda Medicinal dos nativos norte-americanos serve para muitos usos, incluindo métodos de auto-conhecimento e auto-ajuda. A Medicina da Terra desenvolveu esses métodos e inicia explicando como a alma coloca a roupa do corpo físico em ordem para experimentar a matéria e como, conforme a posição ou ponto de percepção na Roda da Vida, ela conecta-se com as influências da Terra e forças que podem promover, através da experiência, seu desenvolvimento espiritual.

Esse sistema não se preocupa com o movimento dos céus e como podem afetar aquilo que acontecerá para nós no futuro, na Terra, mas como nossa conexão com a Terra pode ser usada para que nós possamos compreender o presente, que elabora o nosso futuro, então assumir a responsabilidade por nossas próprias vidas, e então podermos ser mestres de nosso próprio destino. Os ensinamentos foram sempre transmitidos oralmente, seletivamente, nas tradições nativas e protegidos por xamãs.

Para o pensamento nativo o termo “medicina” significa mais do que um método para restaurar a saúde, ou para combater uma doença do corpo físico. Medicina para o nativo, significa “energia” – um poder vital ou força que é inerente à nossa própria natureza. Ela expressa o nosso próprio sistema de energia de vida. A Roda Medicinal representa um círculo de geração de energia abaixo do controle da mente, que sustenta conhecimento desse poder. Medicina é habilitar o Poder Pessoal. (Kenneth Meadows)

Até o presente momento alguns índios constroem uma lembrança tangível da imagem refletida do self que eles descobrem. Isso para eles era como um escudo, um escudo pessoal. Esse escudo não era para proteção física como flechas e balas, muitos europeus supunham isso erradamente. Alguns pintavam nesse escudo um búfalo ou urso, e alguns construíam com veado ou coiote. Cada escudo era pintado com os símbolos, e decorados com penas. A ligação sagrada nos ajuda a entender a diferença essencial de atitude entre os nativos e aqueles que vinham de sociedades materialistas. O fator de motivação na sociedade moderna é possuir coisas para tornar a vida mais confortável, e conferir status. A questão da vida é direcionada pela questão: O que eu posso ter? O índio é motivado pela questão: O que eu posso ser?

Se nós buscarmos por algum sentido em nossas vidas, veremos a necessidade de aplicar atitudes dos nativos. Os escudos das mulheres nativas era usualmente empregados em cintos em volta das roupas, na testa, nas roupas. Homens e mulheres construíam seu escudo pessoal com grande cuidado, não somente fora com pinturas e penas nas peles, mas na mente, como reflexo do self. Nosso escudo pessoal funciona como nosso próprio espelho ou self, indica qualidades que estamos trazendo para a nossa vida, nossas atitudes inerentes, lições que entendemos como necessárias para serem aprendidas na vida, e nos ajuda na busca de descobrir o nosso propósito na vida.

Essa simples descrição física da roda Medicinal proporciona à você o primeiro degrau para dançar com a Roda. Mas, para realmente entender a Roda, sua compreensão tem que superar o físico e o intelectual. Você nunca poderá dançar bem se você estiver sempre pensando sobre onde colocar os seus pés. Para dançar você precisa ouvir a música e permitir que a música seja parte de seu corpo e ser. Isso leva tempo e prática. Quando você está pronto para começar, siga técnica simples, a primeira de muitas que ajudarão a dançar na Roda.

Essas técnicas são chamadas visualizações. Elas proporcionam caminhos para ver mentalmente, sentir e imaginar a sí próprio e sua vida como algo diferente do agora. Todas as visualizações, se tratadas com respeito, podem através das cerimônias, dar um modo para conectar nossa energia com a energia do Universo e para agradecer o Universo, e todas suas partes, pelo presente da vida.

Por Todas As Nossas Relações!

Base do Estudo:
Kenneth Meadows
Sun Bear – Wabun Wind – Crysalis Mulligan

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *