Xamanismo No Terceiro Milênio

 

Várias tradições xamânicas esperam por um tempo que virá com o retorno dos antigos xamãs que reencarnariam em outros povos, com outra linguagem, com outra cor de pele, transmitindo a linguagem do Amor Universal, promovendo o reencontro do homem com o Sagrado, para que possamos juntos caminhar em equilíbrio e, com nossa Mãe Terra.

*Como podem práticas tão arcaicas sobreviverem aos nossos tempos?*

O xamanismo vem crescendo, devido às carências da nossa sociedade atual. A falta de sentido de pertencimento, a ausência de rituais, o distanciamento da natureza e de si mesmo ocasionados pela sociedade moderna, são elementos que estão na origem do interesse crescente pelas práticas ancestrais nos últimos anos.

Passamos a dar mais atenção às inovações, aos inventos, à tecnologia, ao progresso e fomos nos distanciando de nossa conexão com a Terra. Ao longo da história da humanidade, conquistamos a terra, o espaço, a informação. O processo iniciou há 10.000 anos, onde fomos consumindo o planeta, e o saldo negativo foi, e continuam sendo, a extinção de inúmeras espécies animais, vegetais e minerais, superpopulação, poluição de águas e ar, aumento da temperatura global, armas de aniquilação completa, violência e outros.

A neurose por proteção de divisas fez os governos investirem fortunas em armas, na indústria da destruição, que colocam em risco a segurança de todo o planeta. Miram as armas para as suas próprias cabeças. Fortunas que se fossem aplicada em alimentos, acabaria com a fome do mundo. O direito ao alimento deveria ser a nossa mais importante conquista. Criou tal desigualdade que saúde e boa alimentação são privilégios de uma minoria, quando deveria ser para todos.

Nosso meio ambiente está sendo contaminado por substâncias químicas, chuva ácida, destruição da camada de ozônio, etc. Os desertos estão ganhando mais espaços no Mapa, e as florestas, menos. Nunca a natureza se revoltou tanto! O mundo tornou-se muito ameaçador, e cada coisa está à disposição de quem queira tomar posse dela. Essas crises ecológicas são os gritos da Mãe-Terra.

*Lembro-me que na Copa de Futebol de 1970, onde, aqui no Brasil cantávamos o refrão Noventa Milhões em Ação, hoje 36 anos após, na copa de 2.006, com mais do dobro da poluição. Nossa população duplicou-se em aproximadamente trinta e seis anos. Que cenário nos aponta para os próximos 30 anos?*

O homem foi se afastando de sua origem sagrada com o correr do tempo, foi crescendo tão desordenadamente, que criou novas doenças, aumentou a miséria, a exclusão, o medo, a insegurança, a fome. Diminuiu a saúde, a qualidade de vida. Só satisfaz uma pequena minoria. A Medicina cresceu, mas cresceram as pestes, as doenças. O mesmo homem que criou toda uma tecnologia para facilitar sua própria vida, hoje não tem tempo para si mesmo, para sua família. Muitos vivem, atualmente, com uma sensação de separação, de isolamento, um sentimento de que deveria existir um sentido maior na vida.

Vivemos numa época em que vizinhos nem se conhecem, nem se cumprimentam. Violência, desemprego, fome, guerra, crimes. Isso já começa a fazer parte de uma coisa natural. Parece que a beleza desapareceu do mundo.

As pessoas nem parecem chocarem-se mais com tantas atrocidades.

Convivemos num mundo que impõe um consumismo exacerbado graças à um capitalismo fora de controle. Criamos formas totalmente antinaturais de viver. Já nem podemos tomar Sol à vontade com medo de doenças na pele, não podemos sair na chuva com medo de alagamentos.

Sair de carro é um horror: engarrafamentos, assaltos, violência.

Na alimentação, convivemos com agrotóxicos, transgênicos, anabolizantes, coliformes fecais, aditivos químicos, cancerígenos. Um grande assunto são as clonagens.

Aqui no Brasil políticos demagogos e irresponsáveis são coniventes com a destruição do meio ambiente, na própria Amazônia. As pessoas começam a ter más notícias, a partir do momento que acordam ligando seus rádios ou suas tvs. Depois, quando lêem jornais, no caminho de suas casas para o trabalho e vice-e-versa, as más notícias são visuais: crianças nas esquinas pedindo esmolas, cheirando cola, roubos, violência, prostituição.

A tecnologia que deveria dar ao homem mais tempo para o lazer e convívio com a família, o tem escravizado ainda mais. Os celulares não respeitam nem a hora do almoço. A internet e os computadores pessoais levam pessoas a trabalharem depois do expediente e nos finais-de-semana. Parece que caímos num abismo sem solução.

Observando as rápidas mudanças no Mundo, as pessoas se preocupam cada vez mais com o autoconhecimento, e fazem à si mesmos uma pergunta: O que eu realmente devo fazer na vida?

Nesta busca deparam-se com barreiras, seja com relacionamentos, trabalho, saúde, carreira e etc. Os conflitos que rodeiam o mundo, são os que habitam a consciência da humanidade e também passa por nós. As atuais ameaças humanas, assim como o bem estar, são sintomas da Mente Coletiva. E nesse cenário ressurge o xamanismo.

O xamanismo resgata o poder pessoal que está em todos nós e que provém do desenvolvimento de nossos próprios dons. Pondo em prática os nossos talentos é que podemos viver a vida com poder e excelência. Podemos ser mais eficientes do que somos como líderes, especialistas, atletas, educadores, religiosos, comerciantes, voluntários, etc. Podemos decidir o modo que nós usaremos a energia que dispomos. Podemos ter equilíbrio entre olhar para dentro e agir para fora quando sabemos quais são os verdadeiros propósitos de nossas vidas.

O maior desafio para a mulher/homem deste milênio é o de harmonizar suas relações e relacionamentos, seja com a família, fornecedores, clientes, alunos, amores, amigos, chefes, funcionários, com Deus, com o Cosmos, com a Natureza, etc. Para isso é necessário harmonizar-se consigo mesmo.

No xamanismo aprendemos que os relacionamos tem quatro formas fundamentais, com os nossos quatro corpos; físico, mental, espiritual e emocional. Nos relacionamos conosco mesmo, através da intuição, também podemos chamar de relacionamento com o nosso corpo físico, nossa saúde, nosso bem estar. Nos relacionamos amorosamente com a família, parentes e amigos, amores; o relacionamento interpessoal. Nos relacionamos com nossos pensamentos, nossas crenças, nossa personalidade, com o que acontece no planeta. Também temos um relacionamento transcendental como nossos guias, com os espíritos da natureza, elementais, divindades.

Assim como aprendemos coisas nesses relacionamentos que nos fizeram evoluir, também trazemos marcas de registros das frustrações, das perdas emocionais, dos fracassos. Temos registros que nos impulsionam na Jornada da nossa Alma e vamos encontrando obstáculos no caminho. Estamos diante do grande desafio de criar redes de relacionamentos que relacionem as nossas realidades ecológicas sagradas, e ao mesmo tempo com nossas comunidades locais.

O maior obstáculo para o crescimento é a inércia, que cria a insensibilidade, pois priva o indivíduo de novas possibilidades, cria passividade com relação à vida. Cria falta de vitalidade, limita a criatividade e predispõe ao papel de vítima. A consciência se limita a fugir, a ter medo. A vítima fica sempre vivendo as sombras do passado e com medo do futuro. Hoje, no Planeta, a vibração está mais alta do que nunca. As pessoas se preocupam cada vez mais com o autoconhecimento e fazem a si mesmo uma pergunta: “O que eu realmente devo fazer na vida?”

A humanidade tem buscado em livros, ensinamentos, filosofias, religiões; algo que na realidade não sabe bem o que é. Vou arriscar alguns palpites:

* Verdade
* Felicidade
* Liberdade
* Saúde
* Beleza
* Prosperidade
* Paz
* Amor
* Deus

Muitas vezes se decepciona na busca, quando um dia achou um mestre que poderia lhe trazer a iluminação e, depois descobre que por trás desse mestre também existia uma personalidade humana com suas falhas e defeitos, como todos nós.

O xamanismo, tanto em sua forma mais primitiva quanto na mais moderna, recupera o aspecto democrático da vida espiritual: as forças sutis da natureza manifestam-se em experiências espirituais. Cada dimensão da realidade está disponível àquele que realiza o esforço de aprender a prática da viagem e os diferentes meios de consegui-lo. Assim a via xamânica permite ao indivíduo viver uma experiência direta.

Tenho percebido traços, vivências do xamanismo em outras formas de esoterismo e, em práticas terapêuticas diversas.

Também em treinamentos empresariais e métodos de autoajuda.

À partir dos anos 70, o xamanismo começa a ser resgatado, principalmente nos EUA e na Europa, se juntando ao movimento psicodélico dos anos 60, movimentos ecológicos, os livros de Carlos Castañeda, o Movimento New Age.

Esse movimento foi batizado de neo-xamanismo, e foi encabeçado pelo antropólogo Michael Harner, nos EUA, que trouxe um xamanismo extraído de diversas culturas diferentes.

A prática do xamanismo hoje incorpora conceitos como o vegetarianismo, separa a cura, da feitiçaria, igrejas que se utilizam de enteógenos vegetais, posturas, impostações de mãos e até xamanismo corporativo, para curar empresas com problemas.

Harmonia – Amor – Paz e Luz

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *